7 maravilhas naturais da ilha do Maio

MONTE PENOSO

O Monte Penoso localiza-se na parte Este da ilha do Maio, na extinta localidade de Penoso. A paisagem protegida de Monte Penoso ocupa a parte Oriental do maciço da ilha, com a maior altitude da ilha, 437 metros de altura. A sua altitude permite-lhes destacar paisagisticamente e constituem um habitat importante para diversas espécies da fauna insular.

A área onde está localizada o Monte Penoso apresenta um especial interesse de ponto de vista geológico complexo argiloso, calcário e eruptivo, com presente de depósitos Mesozóicos. Crendo ser das mais antigas formações geológicas de Cabo Verde.

O Monte Penoso carrega esse apelido (Penoso), porque está localizado em Penoso, uma extinta localidade e, curiosamente, o primeiro povoado da ilha do Maio, no século XV, com pastores e agricultores, escravos fujões, vindos provavelmente, da Capitania de Alcatrazes, ilha de Santiago fixação desses homens no vale do Penoso estivera provavelmente, relacionada com as condições naturais que o vale oferecia para a prática de agricultura e a criação do gado, em especial o gado caprino; a abundância de água, terreno fértil e os pastos em quantidade e qualidade. Hoje, ainda são visíveis durante todo o ano, os vestígios da água corrente na ribeira, servindo do bebedouro dos animais da população local e não só.

Fazem parte da fauna de Monte Penoso as cabras de rochas, gatos, aves. As aves nidificam e alimentam-se da água das nascentes, das sementes, flores, ervas, insectos, roedores e lagartos, e aproveitam o abrigo das rochas, árvores e paredes.

A flora de Monte Penoso é muito diversifica, diferentes espécies
de ervas, que servem da base de vida da fauna local. A purgueira (jatropa curcas) é uma espécie que ali existe em grande quantidade, que outrora, a população local extraia o seu óleo para fins medicinais, no fabrico de sabão de terra e na iluminação das casas. Ainda, existe ali, um conjunto de outras plantas consideradas medicinais, pelos populares, mas sem um estudo científico feito.

 

TERRAS SALGADAS

Terras SalgadasO Parque Natural do Norte da Ilha do Maio ocupa a parte mais setentrional da ilha do Maio com uma extensão total de 25.600,55 hectares, abarcando uma área terrestre (4.713,9 ha) e uma marinha (20.886,6 ha). Compreende a linha de costa entre a Ponta de Calhetinha e a desembocadura da Ribeira da Lomba da Mantenha.

O seu limite terrestre coincide de forma geral com a zona de cultivos e pecuária extensiva locada a norte das povoações de Morrinho e Cascabulho, rodeia as vertentes ocidentais e meridionais do maciço de Monte Santo António, a partir da aldeia de Santo António coincide com a estrada que junta a mesma com a aldeia de Pedro Vaz, e estende-se mais a sul, até incluir a Ribeira da Lomba da Mantenha. A componente marinha do Parque Natural estende-se entre a Ponta de Calhetinha e a desembocadura da Ribeira da Lomba da Mantenha, e no interior do mar até as três (3) milhas marinhas de distância da linha de costa.

Os fundamentos de protecção desta área baseiam-se na presencia do ecossistema de salinas mais extensas de todo o Arquipélago de Cabo Verde, combinado com amplas e interessantes formações arenosas e com um litoral de extensas e continuas praias, onde desova habitualmente a tartaruga Carreta Carreta. Neste caso trata-se do complexo mais importante da ilha para a persecução deste fenómeno biológico.

As comunidades vegetais de areia e as terras salgadas albergam uma interessante avifauna limnícola e hospedam variam espécies de aves migratórias. Ainda assim, as Terras Salgadas funcionam como um corredor de areias que possibilita o fluxo destas, pelos ventos dominantes do Nordeste que mobilizam a areia proveniente da costa Norte e que logo sai pela costa noroeste.

 

BAÍA DE BAXONA

Baía de BaxonaCom cerca de 650 metros de cumprimento, a Baía de Baxona, fica situada na localidade de Calheta.

Dotado de uma beleza rara, esta extensa praia de areia branca e águas cristalinas, constitui um espaço emblemático na localidade de Calheta e uma das grandes atrações turísticas da ilha.

A sua beleza e o seu encanto, fazem as delícias de todos os que desejam disfrutar de um ambiente calmo, seguro e tranquilo.

Apesar da sua singularidade e raridade, a Baía de Baxona sempre serviu como ponto de partida e chegada de vários pescadores que labutam durante dias e noites em busca de uma vida melhor.

Antigamente havia na ilha, vários barcos, quase todos construídos na localidade de Calheta, na praia de Baxona.

Navios como Aleluia, Belmira, Faluxe, São José, que tanto serviram a ilha do Maio, faziam a ligação com a Cidade da Praia e outros pontos do país.

Reza a história que, os trabalhos de manutenção e reparação dos barcos, aconteciam na Baía de Baxona, sobretudo nos meses de Julho, Agosto e Setembro.

Nesta baía, antigamente havia uma distância considerável ente o nível das águas e as habitações construídas.

Com o passar dos anos, as águas foram-se aproximando das casas. Hoje a distância existente entre e as habitações e a praia é praticamente nula.

Enquanto espaço de confraternização e lazer, este local marcou a vida de muitos calhetenses e todos os que procuram as suas águas, o seu areal, o seu conforto e a sua segurança, para se disfrutaram de momentos certamente inesquecíveis.

Verão, férias escolares, acampamentos e piqueniques estão indubitavelmente associados a este espaço local.

Aqui foram vivenciados vários sentimentos e emoções. Por tudo isso, este local é e continuará a ser sempre especial.

 

SALINAS DO PORTO INGLÊS

Salinas do Porto InglêsLocalizada no litoral Sudoeste da ilha do Maio, a Paisagem Protegida das Salinas do Porto Inglês, encontra-se a Noroeste da cidade de Porto Inglês, nas imediações do porto do Maio, estendendo-se para Norte, até as proximidades da desembocadura da Ribeira do Morro.

A Paisagem Protegida tem uma área total de 534,66 hectares, distribuídos por uma faixa terrestre (400,5 ha) e uma faixa marinha (134,1 ha) delineado a partir da linha de costa, a uma distância 300 metros.

A área terrestre alberga as praias de areia que constituem suporte físico à nidificação das tartarugas, as áreas de lagoa salgada, que servem de área de alimentação e descanso para importantes populações de espécies de aves residentes e migratórias, uma pequena área onde se extrai de forma artesanal o sal.

De ressaltar também o importante papel, que a área desempenha, no que concerne aos aspectoshistórico, cultural, paisagístico e socioeconómico no contexto da ilha. Pela sua proximidade aos núcleos em expansão de Morro e de Porto Inglês, assim como pelas actividades portuárias e extractivas próximas, as salinas encontram-se seriamente ameaçadas.

Na sua vertente mais meridional coincide com a zona de expansão residencial da Vila de Porto Inglês. Além disso, esta zona coincide com os terrenos adjacentes ao porto comercial da Ilha, onde se localizam contentores de armazenagem dos mesmos. É também utilizada como zona de pasto para rebanhos de vacas e cabras, que ruminam a pouca vegetação existente.

Outra ameaça é a degradação paulatina da área explorável da salina, devido á sua nula ou reduzida exploração, significando uma perda do carácter histórico, cultural e paisagístico da mesma.

A salina do Porto Inglês, no Maio, integra desde 12 de Agosto a lista Ramsar (zona húmida de interesse internacional), tornando-se a quarta a ser declarada no país e isso após 2005.

 

PRAIA DE BEACH ROTCHA

Praia Beach Rotcha 2A Praia de “Beach Rotcha” representa inevitavelmente o acessoparadisíaco à ilha do Maio. Desde a sua areia limpa, branca e maciça a sua mansidão das ondas e do brilho suave da sua brisa.

Esta Praia caracteriza-se sobretudo pelo seu tom vivo das ondas que proporciona o avivamento das areias e a frescura da brisa aos seus visitantes.

Caracteriza pelo areal branco em combinação coma limpidez da água morna que maravilha qualquer turista, nacional ou estrangeira.

 

 

 

DUNAS DE MORRINHO

Dunas do MurrinhoAs Dunas de Morrinho ocupam a parte noroeste da aldeia de Morrinho numa extensão de aproximadamente 4 km. Compreende a linha da costa entre praia de calhetinha e baía de Santana.

Localiza-se dentro das áreas protegidas  “Parque nacional das terras salgadas”.

Tem aproximadamente 30 metros de altura considerando o seu ponto mais alto.

As Dunas de Morrinho ocupam a parte noroeste da aldeia de Morrinho numa extensão de aproximadamente 4 km. Compreende a linha da costa entre praia de calhetinha e baía de Santana.

Localiza-se dentro das áreas protegidas “Parque nacional das terras salgadas”.

 

 

PERÍMETRO FLORESTAL DA CALHETA

Perímetro Florestal da CalhetaO perímetro florestal localiza-se na zona de Calheta, estendendo-se até à zona de Ponta Marco perto das localidades de Morrinho e Cascabulho.

De acordo com os dados que dispomos a sua criação remonta aos anos 1964 a 1975 em que foram plantadas cerca de 75000 plantas numa área de 500 hectares, sendo 210 hectares consociação de Prosopis Juliflora e Parkisonia  Aculeata  e 290 hectares  da Parkisonia aculeata.

A florestação foi financiada inicialmente por dois projectos, PIM (Plano integrado Maio) iniciada em 1978 e término em 1980 e projecto FAO/Bélgica prolongando até 1982.

Nessas áreas criou-se o centro zootécnico no qual ainda hoje serve de espaço para criação de viveiros de plantas ornamentais e fruticultura: cocos, citrinos etc. Neste mesmo espaço por volta do ano 1978 introduziu-se a criação do gado caprino especialmente as cabras e ovelhas tendo terminado no início dos anos 90.

Nesta área também tem-se desenvolvido actividades agrícolas sob um sistema de cooperativa de produção iniciada nos finais dos anos 70 prolongando até os meados dos anos 80.

Back to Top